Completo

Os olhos azuis, tão brilhantes que exibiam vivacidade por si só, contrastavam drasticamente com os cabelos negros e sedosos que caiam pelas costas em forma de cascata e sua pele rosada. Os dentes perfeitos jaziam num sorriso perpétuo, sedutor, envolvente. Lábios cheios, vermelhos. Seus movimentos tão suaves que, enquanto andava, era como se flutuasse, ou talvez, dançasse... Seu perfume embriagava e era tão suave, tão perfeito, que parecia fazer parte dela.
Já ele, era tão diferente, tão distante, mas ao mesmo tão igual! Os cabelos castanhos ondulados não precisavam de arrumação, os olhos verdes eram convidativos, assim como o resto de seu corpo. As mãos perfeitas...
Ela não gostava de nada que a prendesse, tirasse seu controle sobre si mesma. Lidava perfeitamente com o bom senso e o que parecia ser certo e racional. Não havia razão para ser de outro jeito. Tratava de seus próprios interesses e negociava com quem lhe convinha. Só existiam parceiros temporários. Pessoas que lhe interessavam por alguma razão, e, assim que atingia seus objetivos, era hora de partir. Era assim com tudo e qualquer coisa em sua vida. Entendia que uma hora ou outra, todos tinham que ir. Um a um. Ela tinha medo de temer, e só.
Fria. Era fria como os invernos rigorosos e tempestuosos, insensível. porém tão apta, definida! Diferente de tudo que ele já tinha visto antes. Talvez seja essa a razão do interesse dele. Cargas opostas.
Ele queria se entregar por completo, vivenciar tudo que fosse possível e seguir seu coração. Compreendia a efemeridade da vida. Sabia que era feita de oportunidades e que o tempo é muito lento para os que esperam. Ansiava voar alto. Transpassar os limites impostos pela física, pela ciência. Ele queria sempre mais, ir mais distante, trilhar novos caminhos. percorrer novos rumos. Aventurar-se.
Ela achava tudo isso bobagem. Ria, divertia-se. Ele apenas disfarçava, pesaroso. Não queria arriscar seu amor... O que fora conquistado com tamanha habilidade e também, por que não, trabalho.
Como duas pessoas com interesses tão distintos podiam viver juntos, em harmonia?
O preto e o branco, o sol e a lua, o claro e o escuro, o frio e o quente... São metades, partes ligeiramente perfeitas e completas que formam algo único e ainda maior: um par.

3 comentários:

  1. Xuxuuuuh ! Acabei de ler todos os seus textos já postados nesse blog, que inclusive são muito interessantes(: e no final das contas não tive meu tempo perdido aqui =) então é isso, continue postando, que eu continuarei lendo..hahahaha !
    Te amo!
    xoxo.

    ResponderExcluir
  2. esse eu devo ter lido.. mas não lembro :D você é linda, kiya.

    ResponderExcluir
  3. HUAHUHUAHUA Sorte que eu amo vocês..

    ResponderExcluir

Entretidos.